Biblioteca Digital
      Jornalismo

Série Jornalismo

Iniciação à filosofia do Jornalismo(1960)

Texto retirado do livro, 1960

Este livro representa uma obra pioneira nos estudos jornalísticos no Brasil, até agora limitados a aspectos históricos, de apologia ou de memórias. Abordando questões filosóficas e sociológicas e partindo da constatação do desapreço em que é tido o jornalismo em nosso país, o que contrasta com a influência e o prestígio que desfruta em outras nações, o Autor realiza um lúcido trabalho de investigação e crítica em torno das manifestações, dos caracteres, dos agentes e das condições dessa atividade humana essencial à vida em sociedade, aplicando as conclusões obtidas à nossa realidade.
O ensaio de Luiz Beltrão, que obteve o “Prêmio Orlando Dantas — 1959”, instituído pelo “Diário de Notícias”, visa oferecer às nossas elites, aos estudantes de jornalismo e aos estudiosos dos fenômenos culturais do país uma radiografia e do jornalismo, despida dos tropos de, retórica ou de exterioridades ilusórias, permitindo, desse modo, uma diagnose ‘segura do seu valor e das suas deficiências. Ao termo do seu ensaio, o A. focaliza, dentro do mesmo critério positivo, a posição do jornalismo brasileiro em relação à Moral, ao Nacionalismo e à Paz Mundial, indicando os rumos que deve trilhar para ser respeitado e acatado pela nossa sociedade e pela comunidade internacional.
Jornalista da província, dedicado há mais de um decênio ao estudo dos problemas jornalísticos, com quase vinte anos de atividade profissional no Recife, Luiz Beltrão tomou para “laboratório” os veículos periodísticos pernambucanos, dando, assim, à sua obra uma feição regionalística que em nada prejudica — antes valoriza — a amplitude e universalidade do trato da matéria. Nesse aspecto, aliás, valeram-lhe a experiência e a observação pessoal colhida nos seus contatos com os centros culturais e profissionais dos Estados Unidos, da Europa e da Ásia, em viagens que tem realizado, e no exercício do mandato de delegado do Brasil junto ao Comitê Internacional de Colaboração dos Jornalistas, com sede em Paris, mandato que lhe foi confiado pelos participantes do I Encontro Internacional de Jornalistas, realizado em Helsinque, em 1956.
Líder sindical, professor de jornalismo no nordeste, autor de teses debatidas e aprovadas ‘em congressos nacionais e internacionais da classe, escritor várias vezes premiado, o A. está capacitado, como o demonstra neste ensaio, a tratar desses importantes temas com profundeza, isenção de ânimo e o mais assinalado interesse pela valorização,, da profissão a que se dedica por uma iniludível vocação e com ardoroso entusiasmo.

Leia a versão em PDF

Teoria e prática do jornalismo

Adamantina, setembro de 2006

Chegar ao século XXI apresentando textos originais do jornalista Luiz Beltrão é uma dádiva concedida a poucos. As Faculdades Adamantinenses Integradas (FA1), Adamantina/SP, disponibiliza, em parceria com a Cátedra UNESCO, a obra inédita - Teoria e Prática do Jornalismo - desse líder visionário do jornalismo brasileiro. Transcodificar os acontecimentos diários e rotineiros de uma sociedade mutável e materializá-los no discurso jornalístico é sempre uma redescoberta aos profissionais da área. Luiz Beltrão já na década de 1960 apontava novas formas de desvendar maneiras e caminhos para se fazer jornalismo diante dos desafios daquele período.
Entretanto, isso não se perdeu com o tempo. Hoje, as orientações transferidas aos seus pupilos são extremamente atuais e esta publicação assim o demonstra. Em uma era em que a informação é uma mercadoria, a nova geração de profissionais da comunicação tem a possibilidade de aplicar as orientações do mestre aos novos suportes advindos com a revolução tecnológica, em especial a internet - ambiente acentuado neste início de século, com uma linguagem específica que, ainda assim, necessita de profissionais éticos e comprometidos com sua prática jornalística.
A obra Teoria e Prática do Jornalismo é uma fonte de idéias que saciará a sede de estudantes de comunicação, docentes e profissionais da área que, assim como Beltrão, vislumbram o jornalismo como uma atividade essencial à coletividade com prioridades aos fatos de interesse para a totalidade dos homens que vivem na sociedade com o objetivo de difundir conhecimento.
Dessa forma, o autor propõe temas relevantes divididos em três partes: iniciando com a Teoria do Jornalismo como atividade humana e o jornal como suporte para a produção intelectual dos profissionais; apresenta, na etapa seguinte, o Jornal Veículo de Comunicação, da estruturação organizacional à sua função informativa. E, encerrando a discussão, demonstra A Prática da Notícia, das preliminares noções das técnicas redacionais ao tratamento dos noticiários.
Enfim, uma valorosa contribuição do pioneiro da comunicação brasileira, ícone da teoria da folkcomunicação que, nesta obra Teoria e Prática do jornalismo, comprova que a seleção das informações necessita de um aprimoramento profissional para a compreensão de todo o universo social. Beltrão, como fervoroso defensor da profissionalização da área, continua presente nas questões pertinentes à pratica do jornalismo. Encerramos com o próprio autor: “exatamente esse aspecto da atualidade jornalística que concilia o presente com o passado e ate com o futuro, e que assegura ao jornalismo caráter de permanência”.

A Imprensa Informativa


Texto retirado do livro

Este é o primeiro livro didático de “Técnica de Jornal”, editado no país, escrito por um experimentado jornalista e professor brasileiro, de conceito internacional. As lições aqui contidas são casadas em linguagem acessível e baseadas na realidade do nosso jornalismo que difere substancialmente do exercício profissional da atividade comunicativa em outros países.
Elaborar um trabalho dessa ordem não é tarefa fácil. Não somente elas transformações que se estão verificando na imprensa brasileira como também pelas alterações que se registram entre as diferentes regiões de um pais continental e de diversificado desenvolvimento cultural e tecnológico. Daí, como o explica o autor, a inserção de aspectos os mais variados e que deverão ser adequado às condições vigentes em cada região onde haja um centro de ensino da técnica de edição jornalística.
A Imprensa Informativa ocupa-se apenas da noticia e da reportagem de setor, ilustrando-se as lições cm gráficos fotografias, as mais expressivas, e com textos antológicos e exercícios práticos.
Luiz Beltrão valeu-se da sua experiência e dos contatos mantidos com profissionais da imprensa e professores da especialidade em todo o país, América Latina e diversas nações européias para produzir um trabalho que atende plenamente a todas as exigências da formação cultural e técnica das atuais e futuras equipes de jornalistas brasileiros.

Jornalismo Interpretativo


Texto retirado do livro

Luiz Beltrão – a convite de Alberto André – agora retorna a seu público com Jornalismo Interpretativo: Filosofia e Técnica, fazendo uma análise da evolução do jornalismo gráfico e apontando rumos certos para que a Imprensa prossiga cumprindo com a sua função perante a comunidade.
O trabalho é de ímpar oportunidade, tratando do assunto mãos discutido do momento, e pela sua qualidade – sem dúvida alguma – deverá se constituir em obra obrigatória para profissionais, professores, e estudantes de comunicação social.

 

Memória de Olinda

Texto retirado do livro

Há um clima mágico, em Olinda, que atrai desavisados e gera amores definitivos. Talvez os seus verdes, o casario antigo esparramado em montes, a luz intensa, a familiaridade com o mar... Talvez o seu passado, os seus tipos característicos de muitas épocas...
Lendo a obra que aqui se entrega ao mundo, há de se supor que tudo isso marcou o coração do menino Luiz Beltrão, definiu-se no homem, consolidou-se no profissional e fez-se verdade no escritor-jornalista, dando origem a essa deliciosa ‘MEMORIA DE OLINDA, que o Centro de Estudos de História Municipal da FIAM, na feliz parceria com a Prefeitura da Olinda, edita.
O livro é um resgate, também, de um compromisso da terra com o seu ilustre filho. Patrociná-lo é uma honra para a Prefeitura e um valioso presente aos olindenses e àqueles que se olindensizaram cativados todos pelo encanto desta Cidade Patrimônio Mundial.

Que ele seja bem-vindo!

GERMANO COELHO
Prefeito Municipal de Olinda